Bia Haddad vence batalha de quase quatro horas e está nos ‘quartos’ em Abu Dhabi

Por Marcela Linhares - Fevereiro 7, 2024
Bia Haddad WTA Abu Dhabi
Divulgação/Mubadala Abu Dhabi Open

Épico! Bia Haddad Maia voltou esta quarta-feira aos courts do WTA 500 de Abu Dhabi para enfrentar a polaca Magda Linette e sobreviveu a uma verdadeira maratona! Com um triunfo por 7-6(6), 6-7(1) e 6-1 em 3h42, a brasileira vai desafiar quem avançar entre Emma RaducanuOns Jabeur nos quartos-de-final. Na última edição do torneio, a paulista foi semifinalista do torneio.

O primeiro set ficou marcado por games longos e grandes trocas na linha de base. Linette havia conseguido uma quebra logo de cara na partida, mas acabou perdendo a vantagem no sexto game.

Sem mais quebras, a definição veio no tie-break. Com oscilações dos dois lados, o game decisivo contou com quatro mini breaks para cada lado até o 6 a 6. Vencendo os últimos dois pontos, Bia fechou a parcial na segunda oportunidade e tomou a dianteira após 1h24.

 

Seguindo o equilíbrio do primeiro set, a segunda parcial seguiu com o mesmo cenário. Bia foi a primeira a ter oportunidades de quebra – três no total – no terceiro game, mas a parcial seguiu sem quebras até o oitavo game. Linette seguiu focada e, contando com erro não forçada da brasileira, conseguiu a quebra e abriu 5-3, mas acabou sendo quebrada logo na sequência.

Assim como no primeiro set, a definição do segundo também foi no tie-break. Bem mais sólido do início ao fim, a tenista polonesa dominou, venceu seis pontos seguidos e fechou em 7 a 1 para deixar tudo igual no marcador.

 

A primeira quebra do terceiro set veio no quarto game após grande devolução da brasileira para abrir 3-1 na parcial. Seguindo mais sólida e sem perder mais games na parcial, Bia, salvou três break points, mas fechou em 6-1 na quarta oportunidade e liquidou a batalha em partida que foi a segunda mais longa da carreira.

Me formei em jornalismo em 2019 pela FACHA - faculdade localizada no Rio de Janeiro. Depois de cursos sem sucesso, me descobri no jornalismo e escolhi estudar com objetivo de seguir o tênis. Estagiei na CNN durante a Olimpíada no Rio, escrevi sobre o esporte em sites colaborativos e não me vejo fazendo outra coisa. Em 2020 fiz pós graduação em jornalismo esportivo e sigo na área desde então passando por colaborações na VAVEL, UOL, Revista Tênis e hoje no Bola Amarela.