Djokovic deixa aviso à concorrência: «Eu e Nadal não nos vamos render tão cedo!»

Por Pedro Gonçalo Pinto - Setembro 28, 2022

Novak Djokovic competiu pela primeira vez desde Wimbledon ao jogar na Laver Cup, mas o regresso à ação oficial vai acontecer no ATP 250 de Telavive. Além de garantir que o seu pulso direito está bem, o número sete do ranking ATP falou sobre quem são os seus rivais atuais e não esqueceu o adeus especial a Roger Federer.

RIVAIS DE DJOKOVIC

Todos os jogadores que enfrente num torneio são meus rivais. Mas se me perguntarem qual é o maior, claro que é Rafa, sem dúvidas. Ainda está cá, somos os jogadores que mais vezes se defrontaram na história do ténis, é uma rivalidade muito especial que continua. Espero ter a oportunidade de o defrontar muitas vezes porque é emocionante para os dois, mas também para o ténis e para o desporto. Agora Alcaraz é número um e campeão do Grand Slam, tornou-se no líder da nova geração e há nomes como Medvedev, Tsitsipas, Zverev ou Rublev, que estão na elite há um tempo. É um ciclo natural, os jogadores vão passando a responsabilidade de levar este desporto nos seus ombros, mas eu e Nadal não nos vamos render tão cedo!

US OPEN VISTO DE CASA

Ver desde casa os encontros competitivos de um Grand Slam quando sabes que estás pronto e preparado para lá estar não é nada fácil, mas é uma situação que tenho de aceitar. Tomei uma decisão e estas são as consequências da decisão. No fim do dia, estou satisfeito com tudo.

PARTICIPAÇÃO NA LAVER CUP

Em primeiro lugar quero dizer umas palavras sobre o Roger. Tenho um enorme respeito por ele e por tudo o que fez ao longo da carreira, pela forma como contribuiu para este desporto dentro e fora do court. Foi uma carreira épica da qual pode estar orgulhoso, deixou um lugar que será eterno, transcendeu o desporto e é um dos desportistas mais reconhecidos em todo o Mundo. É um momento triste para o ténis mas se imaginou um cenário para dizer adeus, não há nenhum melhor do que este, com os seus maiores rivais ao seu lado, bem como a família e amigos. Foi um momento muito emotivo, até porque pensei como seria um adeus para mim. Se há algo que gostaria, seria ter os meus maiores rivais ali junto da minha família.

Pedro Gonçalo Pinto
Comentador Sport TV e ligado ao Jornal Record. Ténis acima de tudo.