Henri Leconte: «Djokovic tem necessidade de ser amado»

Por José Morgado - Novembro 27, 2020
djokovic

Henri Leconte, antigo top 5 mundial e atualmente comentador no Eurosport, falou esta quinta-feira em entrevista ao site ‘Tennis Actu’ sobre o sérvio Novak Djokovic, número um mundial. Para o gaulês, uma das grandes razões pelas quais o líder mundial não é tão apreciado quanto os seus maiores rivais é o facto de ele querer demasiado ser amado.

“O Novak tem a necessidade de ser amado. Ele nunca foi tão apreciado pelas pessoas como o Roger Federer e o Rafael Nadal, por uma razão ou por outra, e sempre passou a imagem de alguém que forçava e procurava essa apreciação. Ele quer fazê-lo com a sua personalidade, sendo diferente de todos os outros. Ele não pensa como os outros dois nem tem os mesmos ideais de vida”, confessou o francês.

Leconte assume que, pessoalmente, gosta muito do sérvio. “Para mim é uma pessoa fascinante e alguém que se preocupa muito com os outros. É fabuloso o que ele tem feito pelas crianças na Sérvia”.

leconte

Apaixonei-me pelo ténis na épica final de Roland Garros 2001 entre Jennifer Capriati e a Kim Clijsters e nunca mais larguei uma modalidade que sempre me pareceu muito especial. O amor pelo jornalismo e pelo ténis foram crescendo lado a lado. Entrei para o Bola Amarela em 2008, ainda antes de ir para a faculdade, e o site nunca mais saiu da minha vida. Trabalhei no Record e desde 2018 pode também ouvir-me a comentar tudo sobre a bolinha amarela na Sport TV. Já tive a honra de fazer a cobertura 'in loco' de três dos quatro Grand Slams (só me falta a Austrália!), do ATP Masters 1000 de Madrid, das Davis Cup Finals, muitas eliminatórias portuguesas na competição e, claro, de 13 (!) edições do Estoril Open. Estou a ficar velho... Email: josemorgado@bolamarela.pt