Medvedev: «Estou feliz por poder alargar ainda mais a rivalidade do Big Three»

Por Pedro Gonçalo Pinto - Janeiro 29, 2022
medvedev

Daniil Medvedev tem mais uma oportunidade para garantir que, aconteça o que acontecer daqui para a frente, será falado até ao fim da sua carreira. É que o número dois mundial está outra vez posicionado como o último obstáculo entre um membro do Big Three e o tão ansiado recorde de títulos do Grand Slam. Depois de anular esse sonho de Novak Djokovic no US Open, agora é a vez de defrontar Rafael Nadal na final do Australian Open, algo que assume com felicidade.

“Há uma tremenda rivalidade entre os três. Roger e Rafa lesionaram-se muitas vezes nestes últimos anos. Muitas pessoas começam a dizer que as suas carreiras estão acabadas, mas olhem para o Rafa. Está em mais uma final. Também se passa o mesmo com o Federer. Vinha de uma lesão no joelho há quatro anos e ganhava tudo o que jogava. É uma rivalidade muito saudável entre estas três lendas. Estou feliz por poder alargar ainda mais a rivalidade do Big Three e evitar que algum deles escape. Vou ter de mostrar o meu melhor ténis”, apontou.

Certo é que Medvedev assume o desafio de facto com muito respeito, mesmo que se trate quase de um sonho de criança tornado realidade. “São muito fortes os três! É muito complicado chegar à final e eles estão ali sempre à espera. É difícil, mas também é divertido. Lembro-me de ter oito ou dez anos, jogar contra a parede e imaginar que estava Nadal, Federer ou Djokovic no outro lado. Agora tenho a oportunidade de fazer história pela segunda vez. A primeira foi épica, mas vou preparar-me muito bem para a final. Quero dar o máximo”, rematou.

Pedro Gonçalo Pinto
Comentador Sport TV e ligado ao Jornal Record. Ténis acima de tudo.