Novak Djokovic é agora o único top 100 ATP que ainda não foi vacinado

Por José Morgado - Fevereiro 16, 2022
Novak Djokovic of Serbia gestures to the crowd during his singles match against Kevin Anderson of South Africa on day 2 of the ATP Cup tennis tournament at Pat Rafter Arena in Brisbane, Saturday, January 4, 2020. (AAP Image/Dave Hunt) NO ARCHIVING, EDITORIAL USE ONLY ** STRICTLY EDITORIAL USE ONLY, NO COMMERCIAL USE, NO BOOKS **

Novak Djokovic confirmou esta terça-feira numa longa e interessante entrevista ao canal britânico BBC que ainda não se vacinou nem tenciona fazê-lo, independentemente do que isso possa significar para a sua carreira. O sérvio de 34 anos está disposto a renunciar a torneios para se manter fiel aos seus princípios, mesmo que insista não ser um ‘anti-vacinas’, mas apenas alguém que defende a liberdade de opção sobre aquilo que coloca no seu corpo.

Segundo a confirmação que o ATP Tour deu à BBC, Djokovic é mesmo agora o único tenista do top 100 mundial que ainda não está vacinado, mesmo depois de ter sido deportado da Austrália, e impedido de lutar pelo seu 21.º título de Grand Slam — e 10.º em Melbourne — precisamente pelo facto de não estar vacinado.

“Como desportista de elite, sempre tive cuidado especial em relação ao que meto no meu corpo, como suplementos, comida, até a água que bebo. Por isso é que decidi não vacinar-me contra a Covid. Mantenho a minha mente aberta porque a nível coletivo devemos ir à procura de uma solução. Ninguém quer estar nesta situação. Este é um desporto global que a cada semana se joga num país. Sei as consequências da minha decisão e entendo-as”, confessou na entrevista à BBC.

https:\/\/bolamarela.pt//bolamarela.pt//bolamarela.pt/djokovic-admite-falhar-mais-grand-slams-para-nao-se-vacinar-e-o-preco-que-estou-disposto-a-pagar/

Apaixonei-me pelo ténis na épica final de Roland Garros 2001 entre Jennifer Capriati e a Kim Clijsters e nunca mais larguei uma modalidade que sempre me pareceu muito especial. O amor pelo jornalismo e pelo ténis foram crescendo lado a lado. Entrei para o Bola Amarela em 2008, ainda antes de ir para a faculdade, e o site nunca mais saiu da minha vida. Trabalhei no Record e desde 2018 pode também ouvir-me a comentar tudo sobre a bolinha amarela na Sport TV. Já tive a honra de fazer a cobertura 'in loco' de três dos quatro Grand Slams (só me falta a Austrália!), do ATP Masters 1000 de Madrid, das Davis Cup Finals, muitas eliminatórias portuguesas na competição e, claro, de 13 (!) edições do Estoril Open. Estou a ficar velho... Email: josemorgado@bolamarela.pt