Osaka lamenta: «A minha mãe nem os parabéns me deu. Mandou-me ir dormir»

Por José Morgado - Janeiro 28, 2019

Naomi Osaka, a nova número 1 mundial, parece ter herdado a sua personalidade especial… da mãe. Em entrevista ao ‘WTA Insider’, a japonesa de 21 anos lembrou a primeira chamada que fez para a sua mãe depois de conquistar o seu segundo Grand Slam consecutivo no último sábado, no Australian Open.

“Liguei à minha mãe horas depois da final, após concluir todos os meus compromissos com a imprensa. E ela nem os parabéns me deu! Disse-me para ir dormir imediatamente. Senti-me muito amada”, brincou a japonesa de 21 anos, que volta a competir dentro de duas semanas na dupla de tradicionais torneios do Médio Oriente – Doha e Dubai.

Osaka revelou ainda que as suas ambições a curto prazo nunca foram as de ser número um. ‘Apenas’ top 10. “O meu objetivo em mente sempre foi o top 10. Penso que essa era a forma de fazer o meu nome ser notado. Agora tenho de me mentalizar que também posso jogar bem em terra batida e em relva, pisos de que nunca gostei. É importante apreciar o desafio de jogar nessas superfícies…”

Apaixonei-me pelo ténis na épica final de Roland Garros 2001 entre Jennifer Capriati e a Kim Clijsters e nunca mais larguei uma modalidade que sempre me pareceu muito especial. O amor pelo jornalismo e pelo ténis foram crescendo lado a lado. Entrei para o Bola Amarela em 2008, ainda antes de ir para a faculdade, e o site nunca mais saiu da minha vida. Trabalhei no Record e desde 2018 pode também ouvir-me a comentar tudo sobre a bolinha amarela na Sport TV. Já tive a honra de fazer a cobertura 'in loco' de três dos quatro Grand Slams (só me falta a Austrália!), do ATP Masters 1000 de Madrid, das Davis Cup Finals, muitas eliminatórias portuguesas na competição e, claro, de 13 (!) edições do Estoril Open. Estou a ficar velho... Email: josemorgado@bolamarela.pt